21 de ago de 2009

Há coisas neste mundo que me transcendem, e uma delas é esta:

No início deste último ano (lectivo), fui nomeada sub-delegada de turma pelos meus colegas.
Foi algo que no início me deixou fora de mim, porque nunca quis este cargo nem por nada.
Agora que penso nisso, nem percebo bem esta minha aversão, tendo em conta que até tenho direito a um cacifo de borla. Enfim, manias...

Mas passando ao que interessa, ser nomeada sub-delegada fez com que eu me tivesse de sentar ao lado da delegada, que era nada mais nada menos do que a Carla (hoje uma das minhas melhores amigas).
Não foi nada que me aborrecesse, se esquecer as boquinhas foleiras do género "Agora é que vai ser tirar boas notas, com a melhor aluna ao teu lado". (Como se eu tivesse chegado onde cheguei a copiar. Screw you!)

Ainda estou para perceber como é que isto aconteceu... Não me lembro de um local, uma data, um momento-chave, nada... Mas a verdade é que a partir do momento em que me sentei ao lado da Carla, comecei a aproximar-me do grupo de amigas dela. Ao fim de um mês (penso eu, não me recordo) elas eram as pessoas com quem passava os intervalos, com quem estudava e bebia café, com quem falava essencialmente.

Fui descobrindo-as pouco a pouco. Fui levantando o véu lentamente... E quanto mais descobria mais gostava!
Claro que nem tudo era bom. Às vezes apetecia-me dar uma chapada em cada uma. Mas o que interessa?! Eu sentia-me bem junto delas. Não tinha de tentar ser alguém diferente para me sentir aceite. How freakin cool is that?


Neste momento já não me imagino sem elas. Sem os nossos encontros, as nossas bicas, as nossas conversas, as frustrações e alegrias partilhadas, tudo... Porque é o que elas são para mim: tudo.

Agora reparem nisto:

Se, por um estranho e inesperado acaso, eu não tivesse sido nomeada sub-delegada de turma, nunca me teria sentado ao lado da Carla e nunca me teria aproximado delas. Talvez nunca chegássemos a ser tão amigas... Ou teríamos?

Não faço ideia. Mas reparem como um acontecimento aparentemente sem importância alguma pode transformar por completo uma vida.


***

4 *:

CG disse...

Sim, isso é verdade!
Mas também acredito que o que tem de acontecer, acontece, por isso secalhar iriam-se aproximar doutra maneira... ou não.
Há coisas que nunca chegaremos a saber.
O que importa são as amizades que criaste e sentires-te feliz com isso =)
Big Kisses

Framboise disse...

Claro que sim! Não vou perder mais tempo a pensar nos se's... Beijinho

Carla disse...

Ah pois é! Por acaso já tinha meditado sobre essa questão... acaso ou destino? (acho que nunca teremos resposta...o que interessa é que aconteceu... mai' nada)
Confesso que sou um pouco céptica quanto ao destino, mas se realmente existe, só tenho a agradecer-lhe por me ter dado a oportunidade de conhecer a fundo uma pessoa como tu... saíste-me melhor que a encomenda xD
Tudo o que este cargo nos possa ter trazido de negativo, da minha parte, foi totalmente compensado com o despoletar desta amizade ^^

PS: Agora vês porque é que não faço comentários...não são muito bonitos de se ver xD

Framboise disse...

@Carla: Hmmm não concordo com o PS. Mim gosta x) Olha até fiquei sem palavras, só digo que retribuo tudo o que a menina disse, aliás já o disse incontáveis vezes. Tão lamechas que nós somos... Beijinho grande

Lulz Catz!