4 de ago de 2009

Meus amigos, encontro-me neste momento a recuperar de uma experiência bastante traumática que envolve a substância que dá nome a este blog: o mel.

Quando menos esperamos, as tragédias acontecem. E por razões tão pouco evidentes...

É verdade meus amigos, eu admito-o:
No passado sábado, eu cometi a barbaridade de deixar cair e partir em mil pedaços um pote de mel enorme, bem cheio e acabadinho de comprar!


E o pior é que não era um mel qualquer.
Era mel puro, mel natural, vindo de colmeias que eu própria conheço, que fazem fronteira com os meus terrenos...
Não imaginam o que eu senti quando olhei para aquilo.


E assim eu o contemplava, a fluir lentamente por entre os cacos. Que tortura,que horror que foi ver aquela substância tão rica e luminosa a deslizar pelo chão imundo, como se de ouro atirado a porcos se tratasse.

Uma pontada apunhala as minhas entranhas quando relembro essa imagem atroz.

Ouro. Ouro líquido de degustação.
Desperdiçado...
Estupidamente e simplesmente desperdiçado...



Oh porque insistes em torturar-me, imagem insolente...?

1 *:

CG disse...

Realmente, devias ter vergonha por deixar cair algo tão precioso como isso!
Agora fica aí a babar-te enquanto olhas para a foto =P
Big Kisses

Lulz Catz!