5 de out de 2009

Na sexta-feira passada vi um filme em Biologia sobre a gravidez humana.
Já agora, é assustador perceber que o facto de nascermos completamente "normais" (o conceito de normalidade é relativo, mas neste contexto acho que percebem do que estou a falar) é uma sorte do caraças!


Passando ao que me traz aqui...
Ora o filme inicia-se, como é óbvio, com a entrada dos espermatozóides no sistema reprodutor feminino.
E eis senão quando somos bombardeados com esta brilhante (estranha, mas brilhante) metáfora:


Os espermatozóides lutam para sobreviver aos ácidos da vagina assassina.


Talvez seja um pouco parolo da minha parte, mas não consegui evitar rir-me um pouco entredentes quando ouvi esta frase.

Para além de resultar numa rima muito bizarra e hilariante (ina ina), fez-me sentir um pouco indignada na minha condição de possuidora de vagina.
Mas que raio? A desgraçada é responsável pelo prazer de meio mundo e ainda têm a crueldade de lhe chamar coisas destas? Pobres e mal agradecidos...

Resta-me só acrescentar que se o vaticano souber que a vagina é uma serial killer de espermatozóidezinhos inocentes, as mulheres estão tramadas!

Nem quero pensar no tipo de idiotices de que eles se iriam lembrar...

2 *:

Daniela disse...

Eh pah, fantástico! Adorei ler!!

**

Framboise disse...

Obrigada :)

Lulz Catz!