30 de jun de 2009

Está na altura de começar a despertar a veterinária que há dentro de mim.
Por isso que, a partir de agora, o consultório está aberto!
Mas tenham calma! Ainda não sou sequer aprendiz de veterinária... Os artigos aqui publicados são baseados em recomendações de veterinários e na minha experiência pessoal.

Decidi começar com um erro que até os donos mais dedicados (como eu) cometem sistematicamente: alterar bruscamente a dieta administrada.

  • Muitas vezes, quando queremos alterar o tipo de ração que damos ao nosso cão/gato, fazemos única e simplesmente isto: a comida antiga acaba e a tigela dele é preenchida com a nova ração. Meus amigos:
Isto é como dar uma grande chapada no organismo dos vossos animais!
  • Uma mudança brusca na dieta pode dar origem a vários problemas do foro do sistema digestivo, tais como diarreia, vómitos ou cólicas intestinais.
  • Muitas vezes, perante estas reacções, pensamos que a culpa é da própria ração e voltamos à dieta antiga. Afinal, a culpa era das nossas práticas inconscientes.
Solução:

  • As alterações na dieta administrada devem ser feitas de forma lenta e gradual.
  • Deve começar-se por misturar uma pequena porção da ração nova com uma grande porção da ração antiga.
  • À medida que o tempo passa, vai-se aumentando progressivamente a quantidade da ração nova e, proporcionalmente, diminui-se a ração antiga.
  • A uma certa altura, apenas se administrará a ração nova, tal como se desejava, e sem consequências para o animal!



E foi a minha primeira consulta! Espero ter sido útil e ter apresentado informação pertinente.


P.S.: Neste artigo só me referi a cães e gatos porque são os únicos animais com os quais tenho contacto. É provável que este artigo se aplique a outros animais como roedores e aves.



Lulz Catz!