13 de jun de 2009

Tenho uma coisa extremamente embaraçosa para contar.
Aquele bicho castanho que está na caixa...Não é um pirilampo metamorfoseado. É A PORRA DE UMA LARVA!
Como é que eu não vi logo?!
Passa o dia todo com a boca enfiada nas plantas, a sugar-lhes o floema (eheh estive a estudar).

Além disso, como diabo é que um pirilampo ia mudar de forma de uma maneira tão acentuada?


(risos distantes ecoam...)
Cala-te Aristóteles, que tu dizias que nasciam ratos em roupa suada! (ahah com esta calei-o)



Depois desta introdução em jeito de confissão, vou fazer-vos um piqueno relatório (cruzes!) sobre as minhas descobertas no mundo dos fireflies:

Ora, como é sabido, reiniciei a experiência com 1 novo pirilampo (ver twitter).
E aqui está o que eu verifiquei:
- Na escuridão, se agitar a caixa ou tamborilar os dedos nela, o pirilampo emite luz com uma intensidade estonteante. Instantes depois, se eu não fizer nada, a luz apaga-se progressivamente.
- Se ele estiver a piscar e eu acender o candeeiro, o pirilampo pára de piscar quase instantaneamente.
- A dada altura surgiu um pirilampo na parede do meu quarto (sabe-se lá vindo de onde) e verifiquei que tanto esse pirilampo como o pirilampo em estudo piscavam intensamente, como se estivessem a trocar sinais.

Conclusão do estudo:
- Um pirilampo pisca em situações de perigo e quando encontra um parceiro, e pára de emitir luz na presença de outra luz.

Depois de uma breve pesquisa, vi confirmadas as minhas suspeitas, o que torna tudo ainda mais fascinante!
Os pirilampos piscam tanto para atrair parceiros sexuais como para afastar predadores. Como?
Bem, parece que os pirilampos sabem mal como o raio, e assim que um animal prova um, começa a associar a luzinha pisca-pisca ao sabor horrível da sua fonte emissora.


Os bichos não são fascinantes?

1 *:

ZaniNE disse...

Sáo mesmo, vistas assim as coisas...

Olha, tens um "template" muito giro, vou-te dizer... Estou deprimida com o meu!? snif, snif.

Beijoquinhas.

Lulz Catz!