7 de jun de 2009

Durante 10 anos relacionei-me sempre com o mesmo grupo de pessoas.
Sempre achei que esses eram os melhores amigos do mundo.
Mas, não sei porquê, sempre tive a sensação de que desempenhava um papel secundário no grupo. Era como se fosse perfeitamente dispensável.
Não me enquadrava ali.
Coisas da minha cabeça, de certo.

Foi então que conheci um grupo de miúdas muito especiais.
Elas ensinaram-me a não julgar as pessoas por aquilo que dizem delas...
...ou por aquilo que parecem ser.
Junto delas sinto-me bem, sinto-me querida, desejada.
E pela primeira vez na vida, sinto que não sou dispensável.

Encontrei-me no dia em que as encontrei.

***

2 *:

Denise disse...

Isto é muito fofo e lá vou eu estragar o momento, mas tinha que partilhar esta coisinha que se segue com alguém. Deixo à tua cabeça a tarefa de descobrir que parte é mais ou menos pertinente no contexto: http://gana.blogs.sapo.pt/39593.html

É ruindade, pois é, muita ruindade, e depois olha, Deus castiga e é por isso que eu não consigo estudar. Toma que é não para seres má-língua, Denise Maria.

Framboise disse...

Que bela pérola Denise. Depois disto, posso voltar ao estudo cheia de entusiasmo! Yaaay!

Lulz Catz!